O inverno e as doenças oculares

Mais habituados com o calor, estamos sempre preparados para nos proteger dos riscos do sol. Óculos escuros com tratamento UV, protetores de alto fator e chapéus são objetos familiares para quem vive sob altas temperaturas na maior parte do ano. Mas quando chega o inverno, e com ele, o vento, a baixa umidade do ar e o frio, pode ser necessário rever os cuidados com a saúde. Especialmente com a saúde ocular. Você sabe quais são as doenças visuais mais comuns durante a estação? E o que fazer para manter os olhos saudáveis? Continue lendo este texto para descobrir as respostas.

Descubra a Lente Ideal

O inverno possui condições perfeitas para a proliferação das doenças oculares. Os perigos para os olhos são maiores durante a estação por conta da baixa umidade do ar e do clima seco, que aumenta o risco de contaminação.  De fato,  alergias, conjuntivites e Síndrome do Olho Seco são bastante frequentes durante esse período. 

Doenças recorrentes no inverno 

Alergias 

Como já dissemos anteriormente, algumas doenças são recorrentes durante o inverno. As alergias oculares, por exemplo, são frequentes e sintomáticas: vermelhidão, lacrimejamento, ardência, fotofobia e coceira nos olhos são muito comuns. Essas reações são acompanhadas por espirros e coriza e podem ser desencadeadas por ácaros, fumaça ou poeira. Geralmente, essas condições acontecem com quem tem rinite alérgica, asma ou alergias de pele.

Conjuntivites

Ambientes fechados, casacos guardados há muito tempo – a estação do frio é o cenário perfeito para a conjuntivite. Essa condição, caracterizada pela  inflamação na camada transparente que reveste o interior das pálpebras e o globo ocular,  pode ser causada por vírus, bactérias, produtos químicos ou também estar relacionada à alergias. Os sintomas mais frequentes são coceira e sensação de areia nos olhos e podem durar de uma a quatro semanas. O tratamento inclui repouso, compressa e dependendo da causa, prescrição de antibióticos.

Síndrome do Olho Seco

As condições climáticas e os hábitos que cultivamos para proteger do frio são propícios para o surgimento da Síndrome do Olho Seco. A baixa umidade do ar, o contato com a poeira, a poluição e a frequência em lugares fechados com ar condicionado são condições apropriadas para o surgimento do problema. Pessoas com a Síndrome apresentam algum desequilíbrio em um dos elementos das lágrimas ou têm sua capacidade de produção reduzida. Os sintomas incluem oscilação da visão, lacrimejamento, dificuldade para abrir os olhos ao acordar e secreção ao amanhecer.

Como evitar doenças da estação 

  • Lave e seque ao sol casacos, mantas e cobertores guardados antes de usá-los;
  • substitua as fronhas sempre que possível;
  • lave sempre as mãos, principalmente antes de encostar nos olhos;
  • abra janelas e portas para arejar os ambientes;
  • beba água. Manter a hidratação é importante;
  • não empreste toalhas, esponjas, colírio ou maquiagem;
  • mantenha o filtro do ar condicionado higienizado;
  • evite objetos que podem acumular poeira como cortina, tapete, brinquedos de pelúcia;
  • tente não se expor à  fumaça, pólen, poeira e pelos de animais.

Nem sempre é possível cumprir todos os cuidados, mas evitar a exposição aos fatores de risco pode impedir muitos problemas. E lembre-se, em caso de qualquer desconforto visual, procure um oftalmologista. Somente um profissional especializado pode diagnosticar e indicar o melhor tratamento para cuidar dos seus olhos.

Leave a Reply