Guia rápido para lentes de óculos: materiais, formatos e focos

Se você precisa de óculos para corrigir a visão, já deve ter notado que nem todas as lentes são iguais. Algumas são mais leves e parecem mais naturais do que as outras. Já se perguntou do que são feitas? Qual a diferença entre elas? Continue acompanhando este artigo para saber estas e outras respostas.

Materiais

Atualmente, existem 5 opções disponíveis para a fabricação de lentes – vidro, acrílico, resina, policarbonato e Trivex. Estes materiais são divididos em minerais (vidro) e sintéticos, que são feitos da combinação de vários elementos químicos, os polímeros.

Por questões de conforto e durabilidade, estes últimos são os mais populares – são mais leves e não quebram facilmente. Além disso, possuem diversos índices de refração e campos visuais e ainda inúmeras possibilidades de revestimentos de proteção. A seguir, falaremos das indicações e vantagens de cada um deles. Confira.

Vidro ou Cristal

Diferentes materiais, possuem diferentes índices de refração. Quanto mais alto, mais finas e leves são as lentes. Por isso, as de vidro são usadas até hoje. O material possui o maior índice de refração do mercado. São lentes recomendadas para quem tem grau muito alto, tipo -20 de miopia.

Lentes de Acrílico

Também chamadas de CR-39, essas lentes são produzidas com plástico e são muito resistentes a quedas. É o tipo mais encontrado por ser um material econômico e oferecer leveza e resistência.

Possuem menor índice de refração, entre 1.50 ou 1.49, e por isso são recomendadas em casos de dioptria baixa, como -1.5 de miopia por exemplo.  

Curiosidade: CR-39 foi batizado em homenagem ao Columbia Resin #39, o polímero utilizado em sua produção. Criado na década de 1940, foi fabricado como componente de aviões e tanques. Dois anos após a Segunda Guerra, virou material para lentes ópticas.

Lentes de Policarbonato

Dez vezes mais resistentes a colisões e 30% mais leves que as de acrílico, as lentes deste material são indicadas para quem procura durabilidade. O policarbonato é um termoplástico, o que quer dizer, que é obtido através da fusão de pequenas moléculas sólidas (micropellets). Elas são moldadas no formato da lente após serem derretidas, e só então são comprimidas e resfriadas.

Possuem índice de refração mediano de 1.59, e por esta razão, são indicadas para pessoas com até 4 graus de miopia ou hipermetropia ou até 2 graus de astigmatismo.

Curiosidade: por sua resistência, o policarbonato possui diversas aplicações que vão desde eletrodomésticos a faróis de carro.

Lentes de Resina

A Resina permite a fabricação de lentes com variados índices de refração, que partem do 1.56 e vão até 1.74. É o material mais indicado para quem precisa de mais de 4 e até 9 graus de correção por permitir óculos mais finos.

Apesar de também ter a durabilidade entre suas características, é um material mais propenso a fissuras. A boa notícia é que o problema pode ser facilmente solucionado com revestimentos antirriscos, como o No-Risk e o Blue Control, da Hoya.

Lentes Trivex

Se o que procura é durabilidade, a escolha certa para as suas lentes é o Trivex. É o material recomendado para quem pratica esporte ou para crianças por sua alta resistência a impactos. É praticamente inquebrável!

Outra característica que merece destaque é a nitidez que o Trivex confere às lentes, que podem ser comuns, progressivas ou fotossensíveis. Seu índice de refração é 1.53 e por isso, são lentes indicadas para pessoas que possuem até 4 graus de miopia ou hipermetropia e até 2 de astigmatismo.

No Brasil, você encontra as lentes Trivex nos revendedores Hoya. Inclusive com a opção de adicionar qualquer um dos tratamentos antirreflexos desenvolvidos pela empresa.

Agora que já conhece os tipos de materiais e suas indicações, vamos conhecer o design das lentes. Confira nas próximas linhas:

Formato das lentes

As lentes podem ser esféricas e asféricas.

As primeiras são as mais usadas, mas dependendo do grau de correção, o formato arredondado pode influenciar na distribuição do material na lente, provocando um acúmulo no centro o que pode causar distorção no campo de visão.

Já as asféricas têm um design mais plano e são as mais indicadas para pessoas com dioptrias mais altas por conta dos menores níveis de distorção.

Foco

Você já ouviu falar em monofocal, bifocal e progressiva. Mas sabe a diferença?

As lentes monofocais são indicadas para quem precisa de grau de correção para enxergar para perto (hipermetropia) ou longe (miopia).

As bifocais possuem os campos de visão bem definidos e podem ser uma opção para quem tem presbiopia (vista cansada) e precisa de auxílio para ver tanto de longe quanto de perto.

Por último, a multifocais ou progressivas são recomendadas para quem tem presbiopia (vista cansada) por apresentarem variados campos de visão, com curvaturas graduais ao longo da superfície e por isso, possibilitam enxergar melhor tanto para longe quanto para perto. 

Agora você conhece um pouco mais sobre as lentes, seus materiais e suas indicações e poderá escolher seus próximos óculos com mais segurança. Mas atenção! Estas informações não substituem a avaliação de um profissional. Somente um óptico tem o conhecimento necessário para sugerir as melhores soluções para sua saúde ocular. E não esqueça: procure, pelo menos uma vez por ano, um oftalmologista.

ENCONTRE A ÓTICA MAIS PERTO DE VOCÊ

Leave a Reply