A tecnologia nos impressiona todos os dias e, desta vez, ela promete revolucionar a visão. Carlos Mastrangelo, um argentino de 57 anos, que dá aulas de engenharia elétrica na Universidade de Michigan, está desenvolvendo o que ele chama de “óculos inteligentes”.

DAN HIXSON/UNIVERSIDAD DE UTAH
DAN HIXSON/UNIVERSIDAD DE UTAH

A ideia surgiu quando, aos 50 anos, Carlos, que sempre teve uma visão perfeita, começou a se queixar de dificuldade para enxergar o que estava próximo. Ou seja, a presbiopia, ou vista cansada, que geralmente acomete pessoas nessa faixa de idade, havia chegado para ele. Mastrangelo tentou utilizar óculos bifocais e multifocais, aos quais não se adaptou, então resolveu utilizar os recursos da universidade para buscar uma alternativa por conta própria.


Atualmente, liderando uma equipe de aproximadamente 10 engenheiros, Carlos está desenvolvendo lentes, preenchidas por um líquido transparente, que se adaptam de acordo com os problemas de visão do usuário; e está conseguindo resultados surpreendentes. Os chamados “óculos inteligentes” funcionam através de um microcontrolador que ajusta continuamente o grau necessário e de um aplicativo móvel que identifica as suas necessidades visuais. Impressionante, não é? O que mais será que o futuro nos reserva?

Se você tem vista cansada, experimente as lentes progressivas Hoyalux: